Crítica – Filmes do feriado

Depois de uma longa pausa num feriadão com família visitando e tudo mais, vamos retomar o ritmo do blog! E nada melhor que fazer um resumo dos filmes assistidos nesses dias. Fazendo meu balanço final tenho o orgulho de dizer que fui super eclética e “universal”: tem filme brasuka, americano, francês e uma co-produção de tudo quanto é país bacaninha europeu, rs. Então vamos ao que interessa:

de-battre-mon-coeur-s-est-arreteDe Tanto Bater, Meu Coração Parou (De Battre Mon Coeur S’est Arrêté, 2005)

Foi o primeiro de seis filmes que assisti nesse intervalo de tempo e chego a conclusão de que, pra mim, foi o melhor dos filmes. Simplesmente incrível! Dirigido por Jacques Audiard (que causou furor em Cannes esse ano com seu filme O Profeta), Romain Duris chega aos extremos em sua atuação, vencedora do BAFTA de melhor ator em 2006. Só o título já te deixa com vontade de ver o filme, admite…rs.

O personagem de Duris é uma pessoa dura, violenta, agitada, mas que encontra no piano seu lado vulnerável e artístico. O filme é realmente imperdível. Fiquei ainda mais curiosa pra ver O Profeta, e sinceramente, qualquer coisa que o Romain Duris faça (com exceção de A Francesa, rs).

Nota = 9,5

The Dangerous Lives of Altar BoysMeninos de Deus (The Dangerous Lives of Altar Boys, 2002)

Interessante como eu resisti a esse filme. Eu sabia da sua existência ha anos! Jodie Foster de freira, animação 2D, Emile Hirsch e Kieran Culkin como garotos rebeldes… mas só depois de saber que a Jena Malone tava no meio que eu realmente corri atrás. Se tem uma atriz do mundo indie que tem muito futuro (e passado) é a Jena. Vou tentar persuadir um dos meus Twins queridos a bolar comigo um Top 5 atrizes do mundo indie, e você vai ver só como ela vai podiar em todos os Tops. A menina é um prodígio desde Marcas do Silêncio (Bastard out of Carolina, 1996), quando tinha uns 10 anos… Incrível!

Quanto ao filme, não vai muito além do trailer não. Uma história “fofinha” praticamente de meninos rebeldes, mas com coração, que demonstram na amizade um amor digno de sermão de igreja, rs. Jodie está ótima como a freira inconveniente, Emile sempre Emile, Jena sempre Jena, e quem volta a surpreender é o irmão de Macaulay Culkin, Kieran. Na verdade eu sou mais o Kieran e o Rory que o próprio Macaulay. Família de talentos essa. E ultimamte, super indie.

Nota = 6,0

tropa de eliteTropa de Elite (2007)

Grande vencedor do Festival de Berlin de 2008, Tropa de Elite é um filme polêmico. No Brasil fez um sucesso tamanho que chegou a ultrapassar o bafafá de Cidade de Deus. Quem nunca usou um “Pede pra sair!”, ou um “Você é muleque”, ou alguma outra quote pra eternidade que esse filme gerou? Exato. Então o filme foi pop, e não podemos negar.

Eu gosto porque ele propicia a discussão, e eu adoro discutir com meus amigos e meus twins, até porque temos opiniões muito diferentes sobre praticamente tudo que o filme retrata. Foi “engraçado”, e assustador, assistir o filme ao lado do primo gringo e sua namorada e ver como eles se chocavam com a violência, enquanto eu e meu cunhado brasuka não achavamos nada de mais ver o famoso “saco” dando uma ajudinha no processo tortura, ou simples graça em cenas como “Coloca na conta do Papa”. Exato. Acaba sendo assustador quando você vê o quão acostumado você já está a certas realidades e pensamentos.

Nota = 9,0

Amorosa SoledadAmorosa Soledad (2008)

Agora tem dobradinha Inés Efron. Na verdade eu só fui atrás desse filme porque era com ela, e tinha passado no Festival do Rio do ano passado. Sinceramente, eu não sei o que eu esperava, mas foi um tanto quanto decepcionante o filme em si. Sei lá, pela história e seu desenrolar, eu acho. Esperava muito mais. Já a Inés em si está ótima. Eu simplesmente acho essa atriz interessantíssima, desde que a vi em XXY, da diretora Lucía Puenzo, onde Inés era uma adolescente hermafrodita, que ainda não havia optado por um gênero/sexo.

Nota = 4,0


el nino pezO Menino Peixe (El Niño Pez, 2009)

Esse filme veio pra mim através de um amigo que queria saber se eu já tinha assistido e o que tinha achado. A verdade é que eu nem sabia do que se tratava, e só depois fui entender que era o segundo longa metragem da diretora Lucía Puenzo, de XXY, e também contava com a Inés Efron no elenco.

Como bônus, o filme ainda traz um amor meio psycho, meio fofo, entre duas jovens, uma delas vivida por Inés. O mais interessante é que o livro (também da autoria de Puenzo) foi lançado no Brasil pela editora Gryphus, que eu acabei comprando e lendo antes de ver o filme (já falei que faço isso sempre que posso). E vale a pena que se leia o livro antes do filme. Vai preencher muitos vazios, e também te deixar meio puto por mudar tanta coisa, mas foi tudo obra da própria Lucía então existe um certo respeito nisso.

Quanto a Inés, fiquei surpresa. Não só ela está atuando muito bem, mas está linda no filme. Exato, linda. E ela normalmente fica mais no campo do “exótico” mesmo, mas nesse filme ela dá um banho na outrazinha, que é supostamente a “gostosa” da parada, rsrs.

Nota = 7,0

joyeux-noelFeliz Natal (Joyeux Noël, 2005)

Com um elenco estelar, incluindo os queridinhos Guillaume Canet, Daniel Brühl, e a bela Diane Kruger, o filme prometia mais. Achei bonitinho, sincero, mas não me arrancou nem uma lágrima sequer, rs. E era isso que eu esperava desse filme: uma bela trilha sonora, uma fotografia sufocante, e atuações dramáticas a ponto de te fazer soluçar. Acho que fui na vibe errada, rs.

Mas o filme tem seu mérito, obviamente, e revela um lado da guerra muito importante: as trincheiras. A galera que morre de frente, no combate homem a homem. E o filme mostra o quão sem sentido isso se torna. Homens que nem sabem o porque estão lutando e contra quem estão lutando se reunem numa noite de Natal, que permite que compartilhem o que tem de comum: tudo. Sua humanidade.

Um filme bonito. Uma história exemplar. E um elenco gostosinho, rs.

Nota = 7,0

2 respostas a Crítica – Filmes do feriado

  1. Marcela diz:

    ô marimbondo, voa aqui marimbondo!

    você é um fanfarrão!

    estratégia, do grego….

    and so on…

    hahahahahahaha

  2. step twin diz:

    De tanto bater… eh mto bom mesmo. Nao achei isso tudo q vc achou nao, mas eh otimo.

    Feliz Natal eh exatamente o q vc disse huahauahau (e melhor q o do Selton, q eh ridiculamente pretensioso, sem ser nada)

    Tropa de Elite eu odeio, vc sabe😛

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: