Uma quote para a eternidade

Sempre que eu assito “As Horas” (The Hours, 2002) eu fico espantado. Definitivamente é meu filme contemporâneo preferido, e com certeza o que eu mais assiti. O roteiro é brilhante (o que torna rídiculo ter perdido o Oscar para “O pianista”, que é um ótimo filme, mas nem chega perto do roteiro de “As Horas”), a montagem e a direção idem, e o elenco é um dos melhores num filme recente. Sério, todo mundo está incrível. E a minha preferida definitivamente é a Julianne Moore, que teve seu Oscar roubado, como já comentamos anteriormente. Claro que a Nicole está perfeita (no seu último papel realmente MTO bom, se vc considerar que Dogville foi gravado antes de As Horas. Depois disso foi só lixo ou filmes medianos, tipo A Intérprete, que não chega a ser ruim, ou A Feiticeira, que é tão bobo que dá pena) e a Meryl, como sempre, dispensa comentários.

Eu assisti tanto esse filme que praticamente decorei algumas falas. Tava testando isso outro dia com uma amiga, rs. Por mim fazia quotes do roteiro todo, mas não dá né? Tinha umas óbvias que nem pus, tipo a carta da Virginia. Enfim, veja o filme, é imperdível.

Virginia Woolf: “You cannot find peace by avoiding life, Leonard”.

Tradução: “Você não pode encontrar paz evitando a vida, Leonard”.

Richard Brown: “Oh, Mrs. Dalloway… Always giving parties to cover the silence”.

Tradução: “Oh, Mrs. Dalloway… Sempre dando festas para encobrir o silêncio”.

Clarissa Vaughn: “I remember one morning getting up at dawn, there was such a sense of possibility. You know, that feeling? And I remember thinking to myself: So, this is the beginning of happiness. This is where it starts. And of course there will always be more. It never occurred to me it wasn’t the beginning. It was happiness. It was the moment. Right then”.hours_streep

Tradução: “Eu me lembro de uma manhã acordando no amanhecer, havia uma sensação de muitas possibilidades. Você sabe, essa sensação? E eu me lembro de pensar: Então isso é o início da felicidade. E onde começa. E claro que sempre vai ter mais. Nunca me ocorreu que não era o começo. Era felicidade. Era o momento. Exatamente”.

Laura Brown: “There are times when you don’t belong and you think you’re going to kill yourself. Once I went to a hotel. Later that night I made a plan. The plan was I would leave my family when my second child was born. And that’s what I did. I got up one morning, made breakfast, went to the bus stop, got on a bus. I’d left a note. I got a job in a library in Canada. It would be wonderful to say you regretted it. It would be easy. But what does it mean? What does it mean to regret when you have no choice? It’s what you can bear. There it is. No-one’s going to forgive me. It was death. I chose life”.

Tradução: “Existem momentos em que não nos sentimos nós mesmos, e achamos que vamos nos matar. Uma vez eu fui num hotel. Tarde da noite eu fiz um plano. O plano era abandonar minha família quando meu segundo filho nascesse. E foi isso que eu fiz. Me levantei de manhã, fiz o café, fui para o ponto de ônibus. Deixei um bilhete. Eu consegui um trabalho numa biblioteca no Canadá. Seria maravilhoso dizer que eu me arrependo. Seria fácil. Mas o que isso quer dizer? O que quer dizer se arrepender quando não se teve escolha? E o que você pode suportar. É isso. Ninguém vai me perdoar. Era a morte. Eu escolhi a vida”.

5 respostas a Uma quote para a eternidade

  1. Marcela diz:

    po, q vontade de rever esse filme… acredita q eu só assisti uma única vez… nem lembro direito. Só lembro q a Meryl arrasa as always, q a cena da Nicole no rio é chocante e a Julianne give me the creeps hehehehehe.

  2. Esse filme é INCRÍVEL! Absurdo de fodão. Amo demais… Quero rever e rever. Amo todas as quotes que colocou, especialmente “Oh Mrs Dolloway, always giving parties to cover the silence”. E também amo “I don’t think anybody could have been happier then we’ve been” ou algo assim.

  3. step twin diz:

    I don’t think two people could have been happier than we have been

    fantastico

  4. ftostes diz:

    Esse é um dos meus filmes favoritos EVA! O livro é foda, e uma das melhores adaptações literárias que já vi. O nível das atuações é impressionante, não só das 3 principais, mas o Ed Harris, a Toni Collete… E acho que esse filme me emocionou como talvez nenhum outro antes. Bateu fundo. Saí chorando e querendo gritar “I choose Life!!!”. Thank God i didnt. =P

  5. Nossa, nem lembrava da Coni Collete nesse filme. Prefiro a Allison Jenney ou sei lá como se escreve o nome dela. Vou no IMDB não… coloco no próx Game Night pra me redimir. rs

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: