Rainbow News: Nicole Kidman, a transformista

nicole-kidman

Já foi época em que eu tinha um respeito tão absurdo pelo talento de Nicole Kidman que eu praticamente acreditava que ela podia se transformar em qualquer coisa que ela quisesse. Mudaria não só o nariz, como a estatura, a voz, o cabelo e o que fosse, mas essa fase acabou e cai na real. Eu e a torcida do Flamengo. Não estou dizendo que Nicole não tenha mais talento, ou que sua carreira tenha acabado, afinal eu sou brasileira e não desisto nunca! Então tenho boas espectativas quanto a sua performance em Nine, do Rob Marshall, com estréia pro ano que vem.

Human StainO que me motivou a escrever esse pequeno post foi o anúncio de que Gwyneth Paltrow agora integra o elendo de The Danish Girl junto de Nicole Kidman. Eu particularmente acho a Gwyneth inexpressiva e chatinha, mas não é ela que me preocupa mais no filme. A história fala da vida do pintor Einar Wegener, que foi o primeiro homem a fazer a operação de mudança de sexo. Esse é o futuro papel de Nicole Kidman. Ficou com medo? Eu, certamente. Ainda mais quando você pensa que Nicole fez a “empregadinha fudida” de A Marca Humana (foto ao lado), filme com o pior casting evah!

Ainda assim estou curiosa pra ver Kidman e Paltrow fazendo esse casal lés. Afinal, Einar/Lily era uma mulher, se sentia como mulher, e se apaixonou por uma outra mulher.

o verdadeiro einar

Einar Wegener, e depois como Lili Elbe (Igualzinho a Nic né?)

6 respostas a Rainbow News: Nicole Kidman, a transformista

  1. Julie diz:

    Nossa! Tá aí um filme que eu veria só pra ver a capacidade da tal atriz de interpretar esse tipo de papel independente de ser Nicole, hehehe

    beijos

  2. jackie diz:

    *muito curiosa*

  3. Ana Fúria diz:

    Twins! Oi! Depois de merecidas férias nas quais eu dei uma sumid básica do computador, voltei pra encher o saco!

    Primeiro, deixa eu agradecer o carinho, pelas palavras do Fil, séculos atrás, depois do Kreatori. Valeu, meninos!

    Segundo, deixa eu falar que adorei o post de filmes de chorar (que a Rafa chamou de “pra chorar” e o Fil de “que fazem chorar”, mas eu vou mesmo é no “de chorar”, gênero tão importante quanto o “de porradja”!), especialmente porque lembraram do “A Cura”, que eu adoro, onde conheci o falecido REnfro mas que tem o meu queridinho Joseph Mazello, que merece um “por onde anda” – foi arroz de festa durante uma época mas depois sumiu, a última coisa que me lembro com ele é o Rio Selvagem da Meryl

    Terceiro, comédias românticas! E eu perdi de falar na época! Que horror! Contrariando a Rafinha e me aliando em parte ao Fil, eu vi Meg Ryan, Julia Roberts e tudo o mais. Acho o Sintonia de Amor um clássico! É sério! Mas acho mais divertido aquele com o Kevin Kline, esqueci o nome. E prefiro o NOtting Hill aos outros da Julia. Mas imbatível mesmo, rei da cocada preta é o P&B Levada da Breca, Cary Grant e Katherine Hepburn, meus ídolos! Por ele eu “straightaria” e por ela eu entortaria de novo…

    Quarto, Robert de Niro e Sarah Jessica Parker, damn! Essa eu ganharia – minha ligação seria a com o Kevin Bacon, damn preguiça de abrir computador!

    E por fim, dona Nicole que me desculpe, mas Vanessão já fez isso com tanta graça que eu tive que conferir nos créditos que o “Richard” era ela mesmo. Não lembro o nome do filme, mas é pra isso que existe o imdb: é a história de um tenista amador, militar, que decide trocar de sexo e acaba saindo da Marinha e virando tenista profissional, o que causa a maior polêmica porque nego alega que é roubo ele ser homem e jogar com mulher, e ele tem que ficar provando que é mulher até a Martina Navratilova aparecer e acabar com a graça dele. Ha! A Vanessa Redgrave arrasa, detona, pulveriza – vejam pra crer.

    Nicole, boa sorte, babe. Mas se não sair legal pode chorar no meu ombro que eu não ligo…

    Kisses, guys! See ya!
    Fóquin Fervendo Fúria voltando de férias com o cão no couro!

  4. Ana Fúria diz:

    Ah! Esqueci!

    Servindo em Silêncio!!!!!!!! Primeiro filme lés que eu vi!!!!! E que iniciou um culto à Glenn Close lá em casa, e um outro mais secreto à Judy Davis, que eu amo até hoje, apesar do estado maracujístico em que se encontra atualmente.

    Onde vc achou esse filme pra ver????? Eu tento comprar, não acho, baixei mas não achei legendas, oh, dor!

    E adorei o follow-up de que elas estão juntinhas e casadas até hoje!

    Não falei do final das temporadas porque isso ainda é muito traumático pra mim…

    Beijocas!
    Ana

  5. http://www.imdb.com/title/tt0091913/

    O filme da Vanessa Redgrave: Second Serve (1986). Vou baixar depois porque fiquei curiosíssima. =)

  6. Ana diz:

    Pô, se conseguir baixar me diz de onde porque eu só vi uma vezinha, mas Vanessão merece repeteco sempre! Vê e depois me diz. Especialmente observa o quanto essa interpretação mexeu com ela quanto aos dois gêneros: vê depois aquele filme dela solteirona andando de bicicleta com o garotinho e aquele outro em que ela joga tênis com o senhor que ela quer pegar, só que sempre ganha dele…

    Enfim, eu só não digo que Vanessão é imbatível porque a dona maria luisa é fogo também – e pro meu gosto, mais pegável…

    Beijo!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: