Top 5 Top Glee Moments

Ok, eu sei que eu sempre digo em Top 5 que me sinto mal em ter que escolher, arrancando meus 3 fios de cabelo com pinça, faço um drama e me chamo de Meryl em Escolha de Sofia. Mas sabe que não me desesperei? Nem em um momento. E daí que nos últimos 3 meses Glee foi tocado 650 vezes no meu computador. E que a trilha dessa série esteve em todos os meus momentos reflexivos, felizes, inspirados… quem sem Glee eu não teria feito exercício, não teria escrito, não teria viajado (ok, teria, mas ia ser bem menos divertido). E daí que eu não faço idéia do que fazer com meus dias entre agora e setembro, só porque eu preencho o vazio social com musicais? Nada, foi bolinho fazer esse top. Porque fato que eu teria 5 grandes músicas pra colocar, e 90 injustiçadas. (ok, olha o exagero de novo. Mas 10 poderiam estar no meu top any day, e ninguém teria o direito de me questionar…) Então é isso, nem vou roubar no final, tá? Nem prêmio da crítica, nem filme estrangeiro, nem cena especial sem ser cantada com o time de futebol americano dançando Single Ladies. Nem prêmio cota deficiente físico pra Dancing with myself, ou Dream a little dream of me do Archie (então já sabe, sem cadeirantes nesse top). Nem vou dar prêmio cota raça negra pela Mercedes quebrando tudo com Bust your windows, ou Beautiful. Não, não darei um prêmio que não seja os 5 primeiros colocados, por mais que isso me doa. E serão todos devidamente justificados pela minha mente doentia, e com casinhos bem pouco interessantes. Thats my Welcome Back!

5- I dreamed a dream (Idina Menzel e Lea Michelle, Episódio 19: Dream On)

I dreamed a dream, ou a música da Susan Boyle como Wicked Sis gosta de chamar, é uma das músicas mais lindas já compostas pra musicais. Tem um quê de “Somewhere Over the Rainbow” (versão da Judy, sem ukelele), algo de inspirational, de vontade de ser alguém, seguir seus sonhos, e bla bla bla, viva a Africa. E aqui podia muito bem estar Pokerface, que embora seja muito menos música que a que eu escolhi, foi cantada lindamente pelas mesmas duas cantoras, e tem o que Glee oferece de melhor. Boa química entre as cantoras, pegar algo que parece totalmente bobo, idiota e nonsense, e me faz chorar rios. Juro, eu chorei umas 3 vezes em Pokerface, e isso é ridículo, e mostra o quanto essa série pode ser brilhante e me tocar mesmo quando eu nem achei que ia. Mas I dreamed a dream é um momento maior, é uma mãe contando pra filha que a abandonou, é a Rachel descobrindo sobre a Shelby, são as duas idênticas cantando abraçadas no palco. Quem tem mother issues levanta a mão? Quem sempre foi mega focado em não decepcionar os pais mesmo sabendo que isso é inevitável? Enfim, Glee na veia.

4- Maybe this time (Kristin Chenowith e Lea Michelle, Episódio 5: The Rhodes not taken)

Mais Rachel? Sim, eu sou previsível. Difícil é achar uma posição desse top que ela não esteja. Então, começando pela música, imortalizada pela Liza em Cabaret. Como diria a Miranda em Sex and the City 2, sempre que tanta energia gay fica concentrada em um único lugar, Liza de materializa, e Glee tem muito disso. O Chris Colfer, que interpreta o Kurt, falou que quando estavam filmando pela primeira vez, ele ouvindo a Kristin cantar, ele não aguentou e soltou uma lágrima, e que os diretores gostaram tanto que mantiveram. Pois foi assim que me senti quando ouvi pela primeira vez. Sério, se você gosta de musicais, se você gosta de uma diva, gosta de Glee, de Cabaret, e ouve uma música tão perfeita como essa, cantada com tanta perfeição, o que você faz, senão chorar? Não tinha outra, mesmo sendo uma música sobre alguém que se sente loser, constantemente perdendo na luta contra o mundo, se sentindo sempre com azar, mas de cabeça erguida, achando que as coisas vão melhorar. Quem sabe dessa vez, né? Lindo demais, mais uma música perfeita, com interpretação perfeita.

3- Dont Rain on My Parade (Lea Michelle, Episódio 13: Sectionals)

Em primeiro lugar, o óbvio. É Barbra. Agora que tirei esse funfact gay musical freak do caminho, esse episódio em especial é muito bom, tinha muita expectativa em relação a ele, e foi perfeito. Na medida certa, tudo na mais perfeita ordem. E lembro de ouvir os primeiros acordes antes mesmo da música começar. Quando a Rachel começa a se preparar, quando ela diz que nasceu pra cantar essa música, I just knew it. Barbra was coming. E essa música é muito especial, é do melhor filme da Barbra, Funny Girl, aquele mesmo pelo qual ela ganhou o Oscar. Lembro muito de Beleza Americana também, mas enfim, quem nunca quis cantar essa música pra alguém? É tão cheia de vida, um verdadeiro Fuck You. Hey Mr Arnstein, here I am!

2- Defying Gravity (Lea Michelle e Chris Colfer, Episódio 9: Wheels)

Hora de mais um casinho. Quando eu era mais novo, recém saído do armário, minha mãe tinha grande dificuldade em me aceitar, e certo dia ela descobriu meu blog, onde eu dizia um pouco mais do que ela esperava sobre minha sexualidade. Uma espécie de embrião do Wicked Twins, com mais fotos pessoais, e histórias um pouco mais sexuais. Eu lembro que ela ficou puta, muito puta. E triste, e decepcionada. Ela não estava pronta pra essa exposição, era tudo muito recente. Ela ainda se importava, e achava que atitudes como aquela iriam me fazer sofrer. E embora fosse algo meu, e eu achava que interessava apenas pra mim, e que eu devia contestar a sociedade, me expor, e que todos deveriam aceitar isso, eu não percebia que essa parte do meu processo de crescimento faria com que minha mãe sofresse, nem que fosse por achar que eu sofreria depois. Pra mim foi difícil saber o equilíbrio entre eu me expor, como me expor, como enfrentar a sociedade, sem que fosse gratuito, infantil, e sem fazer com que os outros sofressem (muito), e até pra eu entender que em algum momento, todo mundo sofre, e não cabe a mim impedir que isso aconteça. As vezes pra que eu seja feliz, outras pessoas vão ter que enfrentar seus próprios demônios. Enfim, alguém ainda está lendo? Isso tudo pra dizer que quando o Kurt errou aquela nota… me deu um aperto no coração. Eu sinto que já passei por isso, e toda conversa que o Kurt tem com o pai, eu já tive com a minha família, senão em voz alta, na minha cabeça, mil vezes. Quem nunca quis ser defendido daquela forma? Confesso aqui que o roteiro de Glee nem sempre é bom, e muitas vezes nem faz sentido com qualquer realidade, mas toda a storyline do Kurt tem sido mais que perfeita. Se tivesse sido feita 10 anos atrás (ok, 7, pra eu não parecer tão velho), teria feito muita diferença, e espero que faça pros mais novos de hoje em dia… Glee é muito bom quando é nonsense, mas é ainda melhor quando me toca lá no fundo.

1- One Less Bell to Answer, A house is not a home (Kristin Chenoweth e Matthew Morrison, Episódio 16: Home)

Última historinha. Um grande e muito sábio amigo, ouvindo essa música, e a versão do Kurt (que só não está nesse top porque seria meio repetitivo), me falou que essas músicas, apesar de lindas, fazem ele se sentir pra baixo. Não exatamente por carência, lord knows que ele não é carente, mas por fazer ele sentir como se estivesse algo faltando, percebesse um vazio. Isso me fez refletir um pouco. Eu nunca me apaixonei (viu? historinha) e acho que existem poucas músicas que conseguem expressar bem o que é se sentir apaixonado, e feliz. Talvez o mais próximo disso que alguém tenha chegado, de cantar a força de um sentimento, sejam as músicas de fossa. É a Judy cantando The Man that Got Away, Maysa com seu Mundo Caiu, e agora Kristin Chenowith e Chris Colfer com One less bell to Answer/A House is not a Home. Com músicas assim, eu consigo realmente sentir que perder alguém causa dor, quase física, e me faz querer me apaixonar, e nunca perder alguém. Então não é sobre a carência, mas é sobre querer algo tanto, e não querer perder, mesmo nunca tendo tido. Faz sentido? Não? Ok, acho que todo mundo parou de ler mesmo lá pelo numero 3 e tá agora só vendo as fotos e ouvindo os vídeos do youtube. Mas enfim. Essa música também me faz muito querer cantar. Mas cantar muito, encher o pulmão, gritar, foda-se se não canto bem. É com grito, com sentimento. É interpretar porque não tem como cantar sem sentir, sem querer se expressar. Viu? Não? So thats what you missed in… GLEE!

9 respostas a Top 5 Top Glee Moments

  1. Amore, you complete me!

    Sério, perfeito. Não poderia ter sido melhor, mais perfeito:

    1. Você colocou Defying Gravity que era exataramente A música que eu mencionei no início do meu post. Ufa! Se ela não estivesse aqui eu teria ficado mal por não ter colocado no meu, but you did it and I❤ you 4 it!

    2. Idina Menzel! Eu ia colocar o Poker Face, mas achei que você ia. Ainda que a música seja sobre bissexualidade e a Va-ga-ga da Lady Gaga, ficou linda no dueto das duas. Mas I dreamed a dream também é linda. Amei! Susan Boyle rlz, kkkkkk. Brinks!

    3. Kristin Chenoweth. I KNEW it que você ia com Maybe This Time, mas fiquei surpresa com One Less Bell. Não por estar no top, porque essa música é FODA, mas pelo primeiro lugar. Mas merece mesmo. Linda demais!🙂

    E agora, vamos fazer as piores? hehehehe

  2. Agora, impressão minha ou vc roubou no final colocando “A house is not a home” na versão do Kurt? Porque foi a SEXTA música do post.

    Fez moh auto-propaganda que não ia roubar e me põe 6 músicas… Esse Felipe hein?! É mesmo um Gleek😛

  3. Julie diz:

    Os 2 posts estão incríveeeis!!! Eu não sei se EU conseguiria escolher! Eu amei “Pokerface” e, “I dremed a dream”, que pra mim até aquele momento tb era a música da Susan Boyle, passou a ser uma das minhas músicas mais amadas. Aliás, eu sei que eu amei uma música ou uma versão quando ela me arrepia e isso aconteceu muuito em Glee! A primeira foi Don’t Stop Believin’ e por aí foi… Don’t rain on my parade, eu fiquei arrepiada do início ao fim! E nem me fale das apresentações de La Cheno! Tudo que ela cantou eu tenho no meu mp4 (poor people alert) Ai,ai…. vou sentir tantas saudades que é capaz de eu assistir tudo de novo até voltar… hahahahaha!

    beijosss

  4. eliane diz:

    Entrei por acaso nesse site agora e amei o Top 5… sou hetero, mas concordo com cada palavra dita (apesar de não ter gostado da escolha numero 5)…. Acho que os sentimentos de felicidade, tristeza e aquela sensação de que no fim tudo vai dar certo de alguma maneira me faz amar Glee…Amizades, musicas, carinhas de choro (o Kurt está assim quase o tempo todo)…. Agora eu acho que não coseguiria fazer um To 5 com as musicas de Glee, talvez um To 20 (levando em consideração que foram 55 musicas tocadas na série)…Mas é isso ….agora é ficar ouvindo as musicas até setembro chegar… No momento que escrevo estou ouvindo “Faithfully”….
    bjs

  5. rbrazao diz:

    Uma das minhas favoritas eh a One Less Bell tb! tah no repeat no ipod hauhaua
    Mas eu colocaria tb 4 minutes, q ficou tao boa qnt a original! E Poker Face dah ateh pra achar melhor q a original hauahaua

  6. carol diz:

    Cara, ‘Don’t rain on my parade’, ‘Maybe this time’ e ‘And I’m telling you’ me deixam arrepiada. E Rafinha colocou ‘Like a Virgin’! Amo também, achei foda como eles encaixaram na série.

    E essa história de geral se pegando nos trailers, hein? Imagina uma suruba Glee? IMAGINA! Morri.

    • Tb fiquei mto passada, tentando eliminar quem não estaria nessa lista pra saber quem estava. Fui eliminando o Chris Colfer, mas imagina se ele levou o Jonathan Groff pro Trailer??? hahahahahha

      You never know. E a Lea Michele namora o carinha do American Idiot, mas tb não ponho a mão no fogo não.

      Aposto todas as fichinhas da Naya, Heather, Diana, Mark e Cory! kkkkkkk. Se bem que a Tina e o Artie tem moh cara de se pegar 4real! hahaahuahuahhaa

      Adoro especular a putaria alheia. You go, Glee!😛

  7. Wellington Ronald Espósito diz:

    Nossa maravilhoso seu blog, parabéns! É inspirador ver alguém escrever com tamanha desenvoltura sobre coisas que passam na cabeça e no coração de praticamente todos nós e ao contrário do que você pensa não tem como ver as fotos e vídeos sem ler o que você escreveu, faltaria um sentido que você deu. E And I’m telling you é sim maravilhosa e estaria em uma lista minha só acho que faltou uma contextualização da música no epsódio afinal quem assistiu Dream Girls sabe que a música tem um apelo afetivo incrível é amor puro e simples!!! Mas, parabéns de novo! Conquistou um novo fã!

  8. Onias diz:

    One Less Bell to Answer é o pior número de todos!

    Não, minto, o pior é Bad Romance. Mas OLBTA é PÉSSIMO!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: